As Duas Coreias



Em nosso primeiro post desta série, falamos sobre os resultados da divisão de um mesmo país em duas partes, uma capitalista e outra socialista. Agora vamos falar de outro caso parecido: O das Coréias do Sul (capitalista) e do Norte (socialista).

A península da Coréia é cortada pelo paralelo 38° N, uma linha demarcatória que divide dois Estados: a República da Coreia, a sul, e a República PopularDemocrática da Coreia, ao norte. Essa demarcação, existente desde 1945 por um acordo entre os governos de Moscou e Washington, dividindo o povo coreano em dois sistemas políticos opostos: no norte o comunismo apoiado pela União Soviética, e, no sul, o capitalismo apoiado pelos Estados Unidos.

Em 25 de Junho de 1950, a Coréia do Norte invade a do Sul, provocando a Guerra da Coréia, que matou cerca de 4 milhões de pessoas. Os Estados Unidos interviram para ajudar o Sul a manter sua soberania, com o aval do Conselho de Segurança da ONU, através da resolução nº 84 [1].
Em seguida, China e União Soviética entram no conflito apoiando o Norte. [2][3] Em julho de 1953, foi assinado um cessar-fogo, mas as Coréias seguiram divididas.

Atualmente, enquanto a Coréia do Sul ostenta a 15ª posição no ranking de Desenvolvimento Humano, a Coréia do Norte está mergulhada na tirania, opressão e miséria, sendo considerada o país mais fechado do mundo e uma das ditaduras mais totalitárias e ferrenhas. [4] Há até quem considere seu regime, uma espécie de nacionalismo racista comparável ao nazismo. [5] Seu sistema de classes imposto pelo estado, o Songbun, é comparável ao sistema de castas e discrimina pessoas com base em sua linhagem. [6]

Apesar das dificuldades encontradas por jornalistas e observadores internacionais em saber o que se passa dentro do país, os poucos dados existentes apontam para uma realidade socioeconômica nada boa. A expectativa de vida de 69,81 anos [7] está abaixo de países como Bangladesh e Iraque, a taxa de mortalidade infantil é 6 vezes maior que a da Coréia do Sul [8] e o PIB per Capita é comparável ao de países africanos. [9]

A Anistia Internacional e a Human Rights Watch acusam a Coreia do Norte de ter um dos PIORES registros violações de direitos humanos de qualquer nação. [10][11]
Em 18 de novembro de 2014, a ONU condenou as violações dos direitos humanos na Coreia do Norte, dando um primeiro passo para julgar a Coreia por crimes contra a humanidade. A resolução foi aprovada por 111 votos a favor e 19 contra. [12] Russia, China, Irã, Síria, Cuba, Venezuela e outras 13 nações ajudaram a proteger o regime norte-coerano votando contra. [13]

Desertores norte-coreanos, como Lee Soon-ok e Shin Dong-hyuk, testemunharam a existência de campos de concentração com uma estimativa de 150.000 a 200.000 presos, e reportaram torturas, fome, estupros, assassinatos, experimentos médicos desumanos, trabalhos, e abortos forçados. [14][15] Um oficial do Ministério do Exterior admitiu a existência de campos de concentração, alegando porém que são "campos de trabalho para reformar cidadãos" [16]

Com o fim da União Soviética em 1991, a Coréia do Norte começa a passar por sérias dificuldades e é assolada pela fome. O próprio regime se refere ao período como a "Marcha Árdua" e em 1995, a Coréia do Norte faz uma requisição oficial por ajuda humanitária. [17] Ainda hoje, o país praticamente só se alimenta graças à ajuda internacional. [18]
Neste link [19] é possível ver algumas imagens fortes da fome na Coréia do Norte.

Também nunca é demais lembrar que no Brasil, o PC do B, partido aliado do PT de longa data, lançou um manifesto de apoio à Coreia do Norte. [20]

Referências:

[1] http://www.un.org/french/documents/view_doc.asp?symbol=S%2FRES%2F84%281950%29&Lang=E&style=B%7Chtm

[2] http://acervo.estadao.com.br/noticias/topicos,guerra-da-coreia,878,0.htm

[3] http://mundoestranho.abril.com.br/materia/o-que-foi-a-guerra-da-coreia

[4] https://freedomhouse.org/report/freedom-world/2014/north-korea#.VcwO_SiuG0w

[5] http://www.wsj.com/articles/SB10001424052748704471504574445980801810944

[6] http://www.nknews.org/2012/06/marked-for-life-songbun-north-koreas-social-classification-system/

[7] https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2102rank.html

[8] https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2091rank.html

[9] https://www.cia.gov/library/publications/the-world-factbook/rankorder/2004rank.html

[10] http://www.amnestyusa.org/our-work/countries/asia-and-the-pacific/north-korea

[11] https://www.hrw.org/news/2007/05/15/grotesque-indifference

[12] http://edition.cnn.com/2014/11/18/world/asia/un-north-korea-vote/

[13] http://www.bangkokpost.com/news/asia/444204/un-committee-votes-to-hold-north-korea-accountable-for-abuses

[14] Os Olhos dos Animais sem Cauda. As Memórias de uma Mulher norte-coreana na Prisão. Lee Soon-ok, Ed. Horizontes América Latina, 2008.
ISBN 9788589195683 Adicionado em 16/11/2014.

[15] Fuga do Campo 14. Blaine Harden, Editora Intrínseca, 2012.
ISBN 9788580571653 Adicionado em 16/11/2014.

[16] http://www.aljazeera.com/news/asia-pacific/2014/10/n-korea-official-admits-use-labour-camps-20141080576899804.html

[17] http://www.nytimes.com/1999/08/20/world/korean-famine-toll-more-than-2-million.html

[18] http://documents.wfp.org/stellent/groups/public/documents/reports/wfp007326.pdf

[19] http://www.northkoreanow.org/film-photo/photographs-mass-starvations-in-north-korea/

[20] http://www.pcdob.org.br/noticia.php?id_noticia=209943&id_secao=9

0 comentários:

Postar um comentário