Um Consenso Liberal em Economia



Greg Mankiw é professor e catedrático na universidade de Harvard, neokeynesiano, é considerado um dos economistas mais influentes da atualidade e seus livros costumam ser usados como livros-texto em cursos de economia em todo mundo.
Em 2009 ele publicou um artigo em seu blog [1] em que comenta o que é consenso e o que divide opiniões entre economistas. As opiniões costumam divergir bastante quando se trata de Teoria dos Ciclos Econômicos e sobre as virtudes da economia keynesiana, mas no geral, há muito consenso.

No capítulo 2 de seu livro-texto favorito, ele inclui uma tabela de propostas com as quais a maioria dos economistas concorda, baseada em várias pesquisas da profissão. Aqui vai a lista, junto com a porcentagem de economistas que concordam:

1) Controle de aluguel reduz a quantidade e qualidade de moradias disponíveis (93%);
2) Tarifas e cotas de importação geralmente reduzem o bem-estar econômico geral (93%);
3) Taxas de câmbio variável e flexível oferecem um arranjo monetário internacional eficiente (90%);
4) Política fiscal (por exemplo, corte de impostos e/ou aumento do gasto governamental) tem um impacto estimulante significativo em uma economia que não esteja com pleno emprego; (90%)
5) Os Estados Unidos não deve restringir os empregadores de terceirizar trabalho em países estrangeiros; (90%)
6) Os Estados Unidos deve eliminar os subsídios agrícolas; (85%)
7) Governos estaduais e federal devem eliminar subsídios às franquias esportivas profissionais; (85%)
8) Se o orçamento federal está para ser balanceado, deve ser feito durante o Ciclo Econômico ao invés de anualmente; (85%)
9) A diferença entre os fundos da Previdência Social e os gastos se tornarão insustentavelmente grandes nos próximos 50 anos se as políticas atuais permanecerem inalteradas; (85%)
10) Os pagamentos em dinheiro aumentam o bem-estar dos beneficiários em maior grau que transferências de espécie de mesmo valor; (84%)
11) Um grande déficit federal tem um efeito adverso na economia; (84%)
12) Um salário mínimo aumenta o desemprego entre os trabalhadores jovens e inexperientes; (83%)
13) O governo deve reestruturar o sistema de assistência social seguindo o estilo do “imposto de renda negativo”; (79%)
14) Impostos sobre efluentes e licenças de poluição comercializáveis representam uma melhor abordagem ao controle da poluição que a imposição de tetos de poluição. (78%)

No mesmo artigo ele ainda comenta:
"Se pudermos fazer o público em geral apoiar todas essas propostas, tenho certeza que seus líderes políticos também apoiarão, e a política pública seria muito melhorada. Por isso que a educação econômica é tão importante."

Fontes:
[1] http://gregmankiw.blogspot.com.br/2009/02/news-flash-economists-agree.html


Obs.:
No artigo escrito pelo próprio Mankiw, ele não cita qual exatamente é o seu "livro-texto favorito", nem quais são as "várias pesquisas" de opinião entre economistas que serviram de base para essa lista, mas verificando em um livro de Introdução à Economia que tenho comigo, justamente no segundo capítulo, encontrei a mesma lista (embora um pouco menor) e com as devidas citações:






Um comentário:

  1. A obra de Mankiw é, de fato, no geral uma espécie de bálsamo para a inteligência dos coitados que tiveram a infelicidade de estudar no Brasil.
    Apesar de seus vários problemas (como afirmar que a lei da oferta e demanda foi estabelecida a partir de observações empíricas, ao invés de reconhecer o valor do raciocínio dedutivo, por exemplo) o livro choca os alunos ao afirmar que o salário-mínimo gera desemprego e que impostos sobre bens de luxo (com demanda elástica) tendem a prejudicar o trabalhador que produz o bem de luxo, não a taxar os ricos. Não chega a ser um "Ação Humana" ou um "Nosso inimigo, o Estado", mas de fato, se este conteúdo fosse conhecido dos brasileiros este país seria muito mais próspero.

    ResponderExcluir