Reforma da Previdência: Um benefício econômico pequeno para um custo político muito grande


Acho que a PEC do teto dos gastos será aprovada tranquilamente, minha preocupação é com a reforma da previdência, acredito que ela será muito impopular, tão impopular que pode sobrar até pra nós. Explico:

A mudança para uma idade mínima de 65 anos para se aposentar é muito radical em comparação com a situação atual. Imagine um garoto que recebeu uma mesada de R$ 500 durante toda a vida e, ao chegar aos 17 anos, o pai diz que a mesada cairá pra R$ 50. Por mais que o pai tenha lá suas razões, é evidente que o filho ficará extremamente revoltado. Bom, acho que a revolta da imensa maioria do povo brasileiro, tão mal acostumado com décadas de populismo, será incomparavelmente maior, sem exagero. Acho que o governo Temer está colocando a mão dentro de um vespeiro de tamanho sem precedentes, a revolta será grande, a popularidade de Temer cairá a zero e vai sobrar pra nós.

Em primeiro lugar, a impopularidade do governo será canalizada contra todos os que apoiaram o impeachment - "Tiraram a Dilma para colocar o Temer e agora, vejam o que ele fez!". - Em segundo lugar, vão culpar a ideologia por trás da reforma, pra ser mais exato, acredito que vão culpar o liberalismo e a chamada "austeridade". Vai sobrar para o PSDB também, afinal são parte da base de apoio ao governo Temer, com consequências nas eleições de 2018 e por fim, ao fazerem resistência à reforma, também o PT terá a sua grande chance de recuperar parte da popularidade perdida, colocando-se mais uma vez como defensores dos "direitos dos trabalhadores". Eu diria até que, pela habilidade e experiência política que o PT tem, eles já devem estar trabalhando nisso desde agora.

A saída para os liberais, na minha opinião - o que infelizmente não vai contar muito porque sei que poucos vão me ouvir - é simplesmente olharmos para os nossos ideais e nos mantermos fiéis a eles, sem fazer concessões para soluções pela metade e isso significa que também devemos nos colocar contra a reforma, principalmente se ela for tão radical quanto está sendo proposto agora. Antes de tudo, porque a reforma já não é a solução ideal do ponto de vista liberal, a solução ideal para nós é a privatização da previdência e acreditem, essa seria uma solução menos impopular do que a reforma proposta pelo governo. Uma solução que por sinal, não deveria ser vista como tão utópica assim, visto que já foi praticada em outros países, como no Chile por exemplo. O discurso de que a previdência social não funciona tem, além de tudo, os fatos a seu favor, pois o Brasil não é o único país onde a previdência passa por problemas. A previdência estatal está em processo de falência completa em todo o mundo, principalmente nos países desenvolvidos onde a população está envelhecendo.

Por mais que a reforma do governo Temer seja uma opção melhor do que simplesmente deixar tudo como está, não valerá a pena, nesse caso, apoiar o mal menor, como normalmente é o melhor a ser feito, se esse mal menor, do ponto de vista econômico, é o mal maior do ponto de vista político.
Ao invés de um discurso de apoio à reforma, deveríamos adotar, na minha humilde opinião, a posição de que a reforma termina por provar que o estado é ineficiente também para gerenciar a previdência, já que se exige cada vez mais de nós, enquanto se entrega cada vez menos, em primeiro lugar porque essa é a mais pura verdade e em segundo lugar, porque essa posição poderia nos proteger da ira popular que certamente virá.

Mas o mais grave é que os tais "movimentos de rua liberais", a essa altura já totalmente subservientes ao governo Temer, com certeza vão apoiar a reforma e trabalhar incansavelmente (e em vão) para tentar mudar a opinião do povo, o que só servirá para fazer com que a opinião do povo se volte contra eles próprios e por tabela, contra nós todos também.
Mas para aqueles que, assim como eu, não têm rabo preso com políticos e partidos a dica que eu tenho pra dar essa: Não apoiem a reforma da previdência do governo Temer, apresentem como solução ideal, a privatização completa da previdência e usem a própria reforma como prova de que a previdência estatal não funciona. Precisamos pelo menos tentar mostrar que há independência e diversidade de pensamento entre os liberais e que nosso compromisso é em primeiro lugar, com ideais e valores, não com políticos e partidos que nem sequer representam nossas ideias.

4 comentários:

  1. Acredito que o pior será quando a bolha imobiliária na china estourar ai sim quem estiver no poder independentemente se será Petista ou Tucano etc......vai ser queimado e nós da direita seremos hostilizados e será feito um tanto de sofisma sobre nós!!

    Oremos!!!

    ResponderExcluir
  2. Estou me identificando muito com tudo o que diz, mas gostaria de saber o que a previdência completamente privada nos traria de bom?
    Dá um pouco de medo, ja que vemos os bancos nos fazerem de gato e sapato com as altas taxas de juros, a burocracia para adquirir créditos. E como haveria confiança em uma previdência de uma empresa na qual existe possibilidade de falir?

    ResponderExcluir
  3. Estou me identificando muito com tudo o que diz, mas gostaria de saber o que a previdência completamente privada nos traria de bom?
    Dá um pouco de medo, ja que vemos os bancos nos fazerem de gato e sapato com as altas taxas de juros, a burocracia para adquirir créditos. E como haveria confiança em uma previdência de uma empresa na qual existe possibilidade de falir?

    ResponderExcluir