Há 30 anos, Stephen Hawking deixou de fazer ciência para fazer sensacionalismo

Algumas pessoas defendem ideias absurdas por burrice, outras por malícia, como inteligência é o que não falta para Stephen Hawking, só posso concluir que ele diz as bobagens que diz com más intenções.

Em primeiro lugar é necessário entender que Stephen Hawking é uma figura midiática em busca de polêmicas e sensacionalismo. Ele já chegou a afirmar que a humanidade deveria tomar cuidado ao tentar contactar aliens, pois eles podem ser hostis.[1] Ele também disse que robôs tentariam se livrar da humanidade, assim que se tornassem tão inteligentes quanto seus criadores.[2] O que essas declarações tem em comum? Um alarmismo que beira o ridículo, coisas dignas de filmes ruins de ficção científica, mas que ganham credibilidade quando saem de um sujeito tido como um dos mais inteligentes do mundo. E o pior é que muitos supostos entusiastas da ciência são os primeiros a usarem a falácia do apelo à autoridade para defender o que ele diz.
Mas há sempre uma autoridade que diz algo diferente, sobre uma possível “revolta das máquinas”, por exemplo, gostaria apenas de parafrasear Linus Torvalds: “Que drogas essas pessoas estão usando?” [3]
Mas o sensacionalismo não para por aí: Recentemente, Stephen Hawking disse que em 600 anos, os seres humanos terão que ter dado um jeito de se mudar da Terra. [4] Bom, talvez isso um dia aconteça e a preocupação de que a Terra talvez esteja ficando sem recursos, é totalmente legítima, mas de onde exatamente ele tirou o número 600? Você acredita mesmo que esse número é fruto de um cálculo cuidadoso? Francamente, isso é tão evidentemente feito para estimular a imaginação de pessoas cuja ideia de ciência parte apenas do senso comum, moldado na ficção científica e na cultura popular, que eu me surpreenderia se encontrasse um cientista sério que confiasse mesmo nesse tipo de previsão.

Hawking chegou até mesmo a se arriscar com previsões esportivas, alegando ter descoberto uma fórmula que ajudaria a Inglaterra a ganhar a Copa do Mundo. [5]

Previsões alarmistas aliás, vendem jornal e Hawking parece saber bem disso, mas esse é um assunto que pretendo debater em um post futuro: O viés pessimista da mídia. Só pra dar uma palhinha sobre o tema: Você lembra de quando a mídia fez um estardalhaço enorme por conta do Bug do Milênio, que acabou não dando em nada? – Então, por hora só posso te garantir uma coisa: Alarmismo vende.

Por isso, quando Hawking diz que, por exemplo, o avanço da tecnologia deve gerar desemprego no futuro [6] essa previsão alarmista, por mais que soe um pouco mais verossímil do que as outras, também não deve ser levada a sério, como demonstrei em um post anterior [7].

Suas contribuições teóricas relevantes para a física parecem ter cessado no fim da década de 70, desde então, Hawking parece se dedicar a fazer previsões sem embasamento. Na década de 80, ele previu que até o final do século XX, a física teórica chegaria ao fim, algo que não se concretizou. O doutor em física Gustavo Romero, disse que, Hawking – longe de fazer uma contribuição para a popularização da ciência – tem convertido a cosmologia em uma espécie de circo. [8]

Fontes:
[1] The Guardian (em inglês): Stephen Hawking alerta contra procura por aliens em novo filme
[2] The Independent (em inglês): Stephen Hawking: Inteligência Artificial pode se livrar da humanidade quanto se tornar tão inteligente quanto humanos
[3] Gizmodo: Criador do Linux duvida muito que inteligências artificiais causem o apocalipse
[4] NBC News (em inglês): Stephen Hawking diz que humanos devem deixar a Terra em 600 anos.
[5] Fox Sports: Cientista britânico cria fórmula para Inglaterra vencer Copa do Mundo
[6] Hyperscience: Stephen Hawking: Inteligência artificial e robôs vão dizimar empregos da classe média
[7] Post do Porco Capitalista: A Falácia Ludita – Por que economistas não acreditam que a tecnologia causa desemprego.
[8] Artigo em um blog que transcreve o texto do físico Gustavo Romero, embora não cite a fonte original (em espanhol): A Cosmologia não deveria ser um circo (Reflexões sobre o senhor Stephen Hawking) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *