No Chile, 150 mil protestam contra educação estatal

Em 2011 e 2012, os protestos estudantis no Chile que pediam reformas na educação, chamaram a atenção do mundo e ganharam enorme destaque na mídia internacional. No Chile, a educação é apenas parcialmente subsidiada pelo estado, sendo gerida pela iniciativa privada e custeada em boa parte, pelos pais dos estudantes. As manifestações pediam a mudança para um sistema de educação gratuíta.

Estas manifestações foram organizadas pela CONFECH – Confederação de Estudantes do Chile [1] – presidida até 2011 pela comunista Camila Vallejo [2] que ganhou grande notoriedade na mídia. além de inúmeras honrarias por liderar o movimento. Em 2012, uma dessas manifestações chegou a reunir 80 mil pessoas [1], segundo os próprios organizadores.

Aproveitando a fama alcançada, Vallejo se elegeu deputada em 2013 pelo Partido Comunista. Também no mesmo ano, a socialista Michelle Bachelet foi eleita presidente, prometendo reformar o sistema.

Mas desde o final de 2014, outro tipo de manifestação vem tomando o país, embora recebendo bem menos atenção da mídia. Dessa vez, os protestos são CONTRA as reformas na educação promovidas pela presidente Bachelet [3]. Em abril deste ano, um megaprotesto chegou a reunir 150 mil pessoas, segundo os organizadores. [4]

No megaprotesto de Abril de 2015 os estudantes protestavam CONTRA a reforma aprovada em Janeiro que proíbe a seleção de estudantes em escolas subvencionadas, o financiamento compartilhado com as famílias e os lucros de capital dos donos de colégios.

Segundo os manifestantes, as medidas envolvendo o lucro e a seleção irão afetar parte das 5 mil escolas subsidiadas, que reúnem 52% dos estudantes chilenos e são financiadas por contribuições do Estado e pelo pagamento das famílias.

As manifestações ocorrem num momento de baixíssima popularidade da presidente (29%), devido ao recente escândalo envolvendo seu filho. [5]
Na foto, estudantes queimam um boneco representando a presidente Michelle Bachelet. [4]

Fontes:
[1] http://noticias.terra.com.br/educacao/milhares-de-chilenos-retomam-marcha-por-educacao-gratuita,4df942ba7d2da310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html
[2] http://en.wikipedia.org/wiki/Camila_Vallejo
[3] http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/10/passeata-no-chile-reune-50-mil-contra-reforma-da-educacao.html
[4] http://g1.globo.com/educacao/noticia/2015/04/estudantes-fazem-megaprotesto-contra-reforma-na-educacao-do-chile.html
[5] http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/afp/2015/05/07/com-popularidade-abalada-bachelet-pede-renuncia-de-ministros.htm

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *