No Reino Unido, governado por conservadores, a desigualdade caiu, no Brasil de Lula, ela aumentou

Uma das acusações mais frequentes que a esquerda faz contra o capitalismo é a de que este sistema perpetua e aumenta as desigualdades sociais, tese que ganhou novo impulso recentemente com o livro do economista francês Thomas Piketty, que apresentava dados sobre o aumento da desigualdade em alguns países.

O livro foi muito celebrado pela esquerda mundial, no entanto, uma equipe liderada pelo próprio Piketty, parece ter acabado por desconstruir também um mito muito propagado pela esquerda brasileira: O de que a desigualdade foi duramente combatida durante os governos do PT.

De acordo com o estudo, conduzido pelo World Wealth and Income Database, instituto codirigido por Piketty, a fatia da renda nacional dos mais ricos da população passou de 54,3% para 55,3% de 2001 a 2015. [1]

No mesmo período, a participação da renda dos 50% mais pobres também subiu 1 ponto percentual, passando de 11,3% para 12,3%. A renda nacional total cresceu 18,3% no período analisado, mas 60,7% desses ganhos foram apropriados pelos 10% mais ricos, contra 17,6% das camadas menos favorecidas.

A expansão foi feita à custa da faixa intermediária de 40% da população, cuja participação na renda nacional caiu de 34,4% para 32,4% de 2001 a 2015.

De acordo com o estudo, a queda se deve ao fato de que essa camada da população não se beneficiou diretamente das políticas sociais e trabalhistas dos últimos anos nem pôde tirar proveito dos ganhos de capital (como lucros, dividendos, renda de imóveis e aplicações financeiras), restritos aos mais ricos.

Por outro lado, mostrando um cenário bastante diferente, no último relatório sobre o padrão de vida do britânicos, o Institute for Fiscal Studies (IFS), concluiu que a desigualdade no Reino Unido foi reduzida desde a recessão de 2007-08. [2]

O aumento do emprego e a queda na renda das classes mais altas, está por trás do declínio da desigualdade.
Houve uma queda “dramática” na desigualdade em Londres, disse o IFS. No entanto, a capital ainda é a região mais desigual da Grã-Bretanha.
“Enquanto Londres continua a ser a parte mais desigual do país, a desigualdade na capital registou um declínio dramático ao longo da última década”, disse Agnes Norris Keiller, economista da pesquisa no IFS.

Durante a maior parte da última década, o Reino Unido foi governado por conservadores – David Cameron (2010 – 2016) e Theresa May (2016 – atualmente) – e apenas durante dois anos por um trabalhista, Gordon Brown, conhecido por dar continuidade às políticas mais de centro do seu antecessor Tony Blair.
O governo de David Cameron, que durou a maior parte deste período, ficou conhecido pelas políticas de austeridade no campo econômico e pela redução da dívida pública britânica.

[1] Fronteiras do Pensamento: Thomas Piketty – Desigualdade de Renda no Brasil não caiu entre 2001 e 2015, diz estudo

[2] BBC: Desigualdade no Reino Unido reduzida desde 2008

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *