O Efeito Cobra ou a Lei das Consequências Não Intencionais

O “efeito de cobra” é um termo originado na época do domínio colonial britânico na Índia, que bem demonstra aquilo que os economistas e cientistas sociais convencionaram chamar de “Lei das Consequências não Intencionais”.

Conta a lenda que o governo britânico estava preocupado com o aumento do número de cobras venenosas em Delhi e ofereceu uma recompensa para cada cobra morta. Inicialmente, esta foi uma estratégia bem sucedida com um grande número de serpentes mortas em troca da recompensa. Com o passar do tempo, no entanto, empreendedores começaram a criar cobras para obter renda. Quando o governo descobriu a malandragem, o programa foi abandonado, fazendo com que os criadores de cobra fossem obrigados a desfazer-se delas. Como resultado, aumentou ainda mais a população selvagem de cobras na cidade.
Essa história nunca foi comprovada, mas há casos semelhantes comprovados, como um ocorrido em Hanói no Vietnã, mas envolvendo ratos ao invés de cobras.

A lei das Consequências não Intencionais afirma simplesmente que ações e políticas levadas a cabo por pessoas, organizações e governo têm consequências inesperadas, gerado no mundo todo grandes surpresas, fiascos e frustrações. Desse modo, resultados inesperados não podem ser, em hipótese nenhuma, descartados.

Muitas vezes as consequências são maiores do que o problema que se intenciona resolver. De certa forma, o efeito cobra diz de forma mais sofisticada aquilo que um velho ditado já dizia: De boas intenções o inferno está cheio.

Fonte:
Wikipedia: Cobra Effect

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *