O que exatamente Olavo de Carvalho disse sobre Heliocentrismo e por que é um absurdo

O que Olavo de Carvalho disse

“Com relação, por exemplo, à origem da Teoria da Relatividade, o que aconteceu foi o seguinte que, no fim do século passado, uma dupla de cientistas, Mitchelson e Morley, disse o seguinte: Olha, se de fato a Terra se move ao redor do Sol, então deve haver diferenças na velocidade da luz em vários pontos da Terra, conforme as várias estações do ano. E eles mediram isso milhares e milhares e milhares de vezes e viram que não mudava nada. Então, das duas, uma. ou a Terra não se move ou é preciso modificar a física inteira.

Então um cidadão chamado Albert Einstein viu isso e achou que era preferível modificar a física inteira para não admitir que não havia provas do heliocentrismo.

E ele fez um arranjo e esse arranjo implicava então em várias noções muito estranhas, como a da curvatura do espaço, que é um conceito que eu até hoje não entendi (…), então que o espaço ele mesmo seja curvo é uma noção que me parece um pouco esdrúxula (…) e várias outras coisas muito esquisitas, que nunca foram provadas, mas que eram intelectualmente muito elegantes e que de algum modo salvavam as aparências.
O FATO É QUE NO CONFRONTO ENTRE GEOCENTRISMO E HELIOCENTRISMO NÃO EXISTE NENHUMA PROVA DEFINITIVA, NEM DE UM LADO NEM DE OUTRO e você pode usar um sistema de referência como pode usar o outro.”

Você pode ouvi-lo proferindo essas palavras aos 3’34”:

 

Fica bastante claro que, para Olavo de Carvalho, não existem provas do heliocentrismo, e heliocentrismo entendido aqui como a Terra girando em torno do Sol. Para ele, o geocentrismo, ou seja, a tese de que o Sol é que gira em torno da Terra, tem o mesmo valor que a de que a Terra gira em torno do Sol.

Para vocês terem uma noção do quanto isso é absurdo, você precisa entender que o geocentrismo implica que a Terra não se move. Isso mesmo, o movimento de rotação não existe nesse modelo. O Sol é que, girando ao redor da Terra, cria a diferenciação entre o dia e a noite.
Enquanto no heliocentrismo, a Terra gira em torno do Sol em 365 dias, no geocentrismo, o Sol e todas estrelas, é que giram em torno da Terra em apenas 24 horas. Isso implica numa noção completamente diferente em relação às dimensões, distâncias e velocidades que temos dos astros. Consegue imaginar o quanto você precisa ser idiota para acreditar nisso em pleno século XXI?
Os cientistas já mandaram homens pra Lua, já mandaram sondas pra Saturno e robôs para Marte. Eles estão carecas de saber a que distancia fica cada corpo do sistema solar.

Veja que Olavo deixa claro que ele tem em mente este mesmo modelo de geocentrismo quando diz que: “Então, das duas, uma. ou a Terra não se move ou é preciso modificar a física inteira.” Ele contrapõe a mudança completa da física, supostamente encabeçada por Einstein, à hipótese de que a Terra não se move. Como ele diz que a física de Einstein é estranhíssima e nunca foi provada, podemos concluir que ele toma partido pela tese de que a Terra não se move.

Os fatos

Só que já estava certo e não havia a menor sombra de dúvidas de que a Terra é que se movia, tanto em torno do Sol quanto em torno do seu próprio eixo, muito antes de Einstein e bem antes mesmo de Mitchelson e Morley.

Galileu Galilei, já no século 17, e James Bradley, no século 18, deram evidências bastante fortes do heliocentrismo. O famoso italiano observou as diferentes fases de Vênus, explicadas pela rotação da Terra e de Vênus em torno do Sol, sendo que Vênus está posicionado antes da Terra, enquanto Bradley descobriu o fenômeno da aberração da luz. Desde essa época, as duas hipóteses já não estavam mais em pé de igualdade.

Mas se havia alguma dúvida de que a Terra girava, essa dúvida foi completamente sanada com a invenção do Pêndulo de Foucault, em 1851.
Obs.: O Pêndulo de Foucault também é o nome de um romance de Umberto Eco que trata de teorias da conspiração (ao estilo das que Olavo de Carvalho costuma propagar) e que inspirou Dan Brown. Recomendo.

As experiências de Mitchelson e Morley só aconteceram em 1887 e o resultado delas inspiraram a Teoria da Relatividade de Einstein. O que esse experimento tentava fazer era detectar a velocidade da luz no éter. Imaginava-se que a luz precisava de um meio para se propagar, como já se sabia que a Terra gira em torno do Sol, se esperava que haveria uma diferença na velocidade da propagação da luz. Esse experimento foi realizado inúmeras vezes. A conclusão óbvia é que a velocidade da luz é independente do movimento do observador e que o éter, que nunca fora detectado, não existe.

Já a Teoria da Relatividade, que só surgiu no século XX, vem sendo desafiada há mais de 100 anos, mas a cada nova evidência, só se reforça sua validade. A mais recente evidência em favor dela é a descoberta das ondas gravitacionais.
O conceito de curvatura do espaço, que Olavo diz nunca ter compreendido, é uma parte da Teoria da Relatividade até fácil de se entender, mesmo por leigos e, ao contrário do que Olavo diz, foi provado sim, inclusive uma das experiências aconteceu no Brasil.

A hipótese de Einstein é que a matéria curva o espaço. Se a hipótese estivesse certa, as estrelas deveriam ser observadas com uma distância distorcida (por causa da curvatura do espaço) quando passassem por trás do Sol (que possui muita massa e portanto, distorce consideravelmente o espaço).
A única forma de observar o Sol e as estrelas no céu ao mesmo tempo, seria durante um eclipse total do Sol.
Durante um eclipse em 1919, em Sobral, no Ceará, eles observaram que as estrelas que estavam próximas do Sol realmente apareciam com uma distância distorcida umas das outras em comparação com o que se via normalmente no céu à noite. Estava provada a curvatura do espaço.

Olavo diz que o heliocentrismo foi empurrado goela abaixo durante 400 anos, quando na verdade, ele foi sendo confirmado, gradativamente, ao longo de 400 anos, o que é bem diferente. Acontece é que Olavo nega as evidências encontradas no século 17 por Galileu, depois as encontradas no século 18, nega as provas definitivas encontradas no século 19, até chegar na Teoria da Relatividade, já no século 20 para novamente, negar esta também, insinuando que o heliocentrismo e o geocentrismo tem o mesmo valor ainda hoje.
Isso é de um obscurantismo inacreditável.

Mas Olavo realmente quis dizer isso?

Depois de confrontado publicamente pelas declarações absurdas e de ter sido exposto ao ridículo, Olavo de Carvalho tentou tergiversar. Em alguns vídeos, ele aparece dizendo que não negou que existam provas do heliocentrismo hoje, mas que esta teoria fora “imposta” durante vários séculos, sem que houvesse prova alguma.
Acontece é que mesmo essa ideia, não está correta. Primeiro porque, de Copérnico até Galileu, o geocentrismo é que foi imposto. Basta lembrar que Galileu foi condenado pela inquisição por defender o heliocentrismo, depois de ter encontrado novas evidências em favor dele, condenação pela qual a própria Igreja Católica se retratou depois.
Ou seja, destes “séculos” entre Copérnico e a prova definitiva do heliocentrismo, durante os quais, de acordo com Olavo, o heliocentrismo foi “imposto”, no primeiro deles, o geocentrismo é que foi imposto, na verdade.

Mas o mais provável é que Olavo, incapaz de admitir um erro e pedir desculpas, simplesmente estava tentando negar que disse o que disse, mas o que ele disse está gravado, e você mesmo pode conferir. Mesmo sem considerar o que ele disse ao pé da letra, o fato dele não ter compreendido o significado das conclusões de Mitchelson e Morley e de ter insinuado que a Teoria da Relatividade não tem sentido, deixa claro que ele estava negando as provas conclusivas do heliocentrismo que já existiam bem antes de Einstein e até aquelas apresentadas pelo próprio Einstein.

Por fim, há ainda outro vídeo em que, ao tentar concertar o que disse, ele se complica ainda mais e confessa que, entre heliocentrismo e geocentrismo, ele pessoalmente, não tem certeza de nenhum dos dois.
Ele tem todo o direito de ter as dúvidas que quiser, mas se ele não conhece o assunto o suficiente para chegar a uma conclusão sobre um tópico tão elementar, ele deveria simplesmente se abster de opinar.
Confira você mesmo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *